Os países que têm o maior número de mortes em acidentes de viação por 100 000 habitantes, são a Eritreia, o Egipto, a Líbia, o Afeganistão, o Iraque, o Nigéria, a Angola, os Emirados Árabes Unidos e a Gâmbia.

Mais de 90% das mortes na estrada ocorrem em países com níveis baixos ou médios de rendimento. Isto significa que as estradas mais perigosas encontram-se fora da Europa.

À excepção da Lituânia, que é conhecida pelas suas estradas perigosas. Aqui a taxa de mortalidade atinge os 22,4 por 100 000 habitantes. Em comparação, a Noruega tem uma taxa de mortalidade em acidentes de viação de 5,0 por 100 000 habitantes.

Outros países turísticos mais procurados na Europa têm a taxa de mortalidade por 100 000 habitantes seguinte:

Turquia 13,4
Itália 9,6
Espanha 9,3
França 7,5

A Organização Mundial da Saúde publicou as estatísticas oficiais dos 10 países mais perigosos da Europa:

Lituânia 22,4 mortes por 100.000 habitantes
Montenegro 20,4 %
Letónia 17,9
Geórgia 16,8
Bielorrússia 15,7
Moldova 15,1
Eslováquia 15,1
Grécia 14,7
Polónia 14,7
Eslovénia 14,6

(Fonte: Relatório global do estado da segurança rodoviária, OMS)
Em alguns países, é o estado das estradas que é o mais perigoso, em outros países é a cultura de condução ou quantidade de tráfego.

As 23 estradas mais perigosas do mundo

Abaixo está uma visão geral das estradas onde ocorrem muito frequentemente acidentes de viação:

* Bolívia:  A velha estrada Yungus (Yunga road), é uma estrada de montanha de 80km que liga Coroica com La Paz.

* Brasil:  A Interstate 116, é uma estrada movimentada com buracos, uma má sinalização e uma grande quantidade de tráfego.

* China:  SichuanTibete, a estrada entre Chengdu e o Tibete é frequentemente atingida por deslizamentos de terra e avalanches.

Costa Rica: Estrada pan-americana, o troço entre San Isidro de El General até Cartago é conhecido como a “estrada da morte”, porque está cheio de buracos e curvas acentuadas.
Equador Estrada do Vulcão Cotopaxi  – a estrada de pó de 40 km atravessa um rio na entrada do Parque nacional de Cotopaxi.

* Egipto:  Luxor-al-Ghurdaqah, esta estrada até ao Mar Vermelho é conhecida pelos seus famosos acidentes à noite, principalmente porque os Egípcios conduzem sem luzes.

* Inglaterra:  A44 – o troço de estrada entre Leominster e Worcester é especialmente conhecido pelas suas frequentes colisões frontais.

* Grécia:  Patiopoulo – Perdikaki,  uma estrada íngreme de cascalho sem marcações de estrada. Situa-se na região de Agrafa.

* Índia:  Grand Trunk Road, o troço de estrada mais movimentado da Índia. Muitos camiões grandes utilizam esta estrada, e também carros de boi, animais, ciclistas e peões que torna esta estrada muito confusa.

* Quênia: A estrada de Nairóbi – Nakuro – Eldoret é muito afectada por acidentes de trânsito. Todos os anos mais de 300 pessoas morrem em acidentes de viação. Isto é devido, principalmente, às ultrapassagens perigosas, ao excesso de velocidade ou álcool ao volante.

* Croácia:  A estrada do litoral (a estrada junto ao mar Adriático) é estreita, sinuosa e movimentada. Existem também muitas zonas onde não existem barreiras de segurança e faixas de emergência.

* Marrocos:  Marraquexe – Agadir, estrada com veículos pesados, autocarros e táxis que ultrapassam, em curvas escarpadas e apertadas.

* México:  Autoestrada 1, uma estrada sinuosa, estreita e muito esburacada entre Tijuana e Cabo San Lucas, onde não existem barreiras de segurança, paragens de emergência e sinalização.

* Namíbia:  Swakopmund – Walvis Bay, tráfego de pesados e muitas colisões frontais quando os motoristas medem mal as distâncias entre os carros.

* Nepal:  Autoestrada Prithvi, uma estrada muito movimentada, onde na época das chuvas podem ocorrer deslizamentos de terra ou desabamentos de estrada.

* Nigéria:  Lagos – Ibadan, Ogbomosho – Ilorin – Jebba – Minna – Abiyo, uma estrada muito movimentada com buracos profundos que significa que os motoristas devem frequentemente conduzir do lado contrário para evitá-los.

* Paquistão:  N-35 (Autoestrada Karakoram), estrada de montanha no Norte do Paquistão que é muitas vezes bloqueada por deslizamentos, inundações e lama.

* Peru:  Kuelap – Celendin – Cajamarca, estreita estrada de cascalho nas montanhas e penhascos e curvas apertadas.

Portugal: IP3, estrada íngreme e mal conservada sem separador central.

* Escócia:  A77, uma estrada sinuosa que se situa no sudeste do país, onde há frequentemente acidentes fatais de viação.

* Espanha:  Carretera Nacional N340 – uma estrada estreita  ao longo da Costa del Sol onde condutores embriagados e turistas britânicos (que não estão habituados a conduzir do lado direito) colidem frequentemente.

* África do Sul:  N3, a estrada entre Warden em Free State Province e Van Reenen’s Pass em Kwa Zulu-Natal é um local de muitos acidentes devido ao nevoeiro, chuva, vento e estradas estreitas.

* Turquia:  Bodrum – Milas – Soke, estrada costeira estreita sem barreiras de segurança em muitos troços que é especialmente perigosa quando a superfície da estrada está molhada.